Coluna do Celson Bianchi no Jornal Alô Brasília

Foto: Jornal Alô Brasília/Reprodução.
Orçamento 

Presidida pelo deputado Agaciel Maia (PR/DF) a 7ª reunião extraordinária da Comissão de Economia, Orçamento e Finanças(CEOF) da CLDF, aprovou na terça-feira(22) os relatórios parciais ao Orçamento (Projeto de Lei 1260/17), que estima receita e fixa despesas para o ano que vem (Projeto de Lei Orçamentária Anual para o exercício financeiro de 2017 – PLOA). 

Orçamento 2

Na oportunidade o deputado Wasny de Roure (PR/DF) pediu a correção dos valores destinados ao Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente do Distrito Federal (FDCA) no relatório final, por considerar que as instituições assistenciais estão sendo prejudicadas. Além de relatar vários temas importantes o deputado Wasny pediu vistas ao projeto que aumenta o IPTU. O parlamentar também lembrou a solicitação que fez para a suplementares da duplicação da DF-250, que liga o Paranoá à Planaltina. Wasny também destacou emendas suas destinadas para a implantação definitiva dos Centros Interescolares de Línguas (CILs) nas duas regiões e posteriormente em todo o DF.


Não passou batido

O ex-deputado Robson Rodovalho está vendendo um cachorro. Na tarefa tem contado com a ajuda de amigos nas redes sociais.

Mulheres

No dia 24 de novembro, no auditório do Instituto Federal de Brasília (IFB), Campus Estrutural, será realizado o Seminário Luiza Bairros: Feminicídio e a Questão Racial. A ação faz parte do calendário do Mês da Consciência Negra e da Campanha Mundial 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres. 


Mulheres 2

O seminário será dividido em três painéis: “Feminicídio: perspectiva racial e o mapa da violência”, “Enfrentamento da Violência” e “Empoderamento das Mulheres Negras”. O encontro é realizado pelo GT contra o Feminicídio, coordenado pela Subsecretaria de Políticas para Mulheres, em parceria com a Subsecretaria de Igualdade Racial e com o Instituto Federal de Brasília (IFB).


Reconhecimento

A Associação dos Moradores e Amigos de Águas Claras (AMAAC) assinou o termo de parceria e passou a fazer parte do Conselho do Selo Social em Águas Claras. O Selo Social é uma iniciativa do Instituto Abaçaí e conta com o apoio em Águas Claras do La Salle. O Selo Social é um instrumento que transforma uma ideia global em uma ação local, com  a mobilização, fortalecimento e convergência de pessoas e organizações que desenvolvem ações para o desenvolvimento local. 


Reconhecimento 2

No ano que vem, serão selecionados projetos que efetivamente trazem melhorias para a cidade, tendo o apoio, a metodologia, o acompanhamento e as ferramentas fornecidas gratuitamente pelo Instituto  Abaçaí. Se você desenvolve um projeto de ação social (horta comunitária, inclusão social, ensino de musicalidade a grupos carentes, adoção de uma praça, fornecimento de apoio social, ensino de uma língua à terceira idade, inclusão de portadores de necessidades especiais na sociedade), prepare-se: seu projeto poderá ser selecionado e poderá, ao final do ciclo, ser agraciado com o Selo Social, mostrando que você fez a diferença em sua cidade.


Guerra fiscal
A polêmica em torno de concessões de incentivos fiscais para as empresas permanecerem ou até se instalarem no DF foi o tema de uma reunião, na sede do Ministério Público. O encontro é o desdobramento de uma audiência pública realizada semana passada na Câmara dos Deputados, por solicitação do deputado Izalci Lucas (PSDB-DF).

Guerra fiscal 2
Participaram da reunião representantes do Ministério Público, da Secretaria de Fazenda do GDF e do setor produtivo local.  Pelos dados apresentados, somente no primeiro semestre deste ano, mais de 8.800 empresas se mudaram para outras unidades da Federação. “Não se trata de querermos privilégio para o DF. O que queremos são direitos iguais, já que outras unidades da Federação praticam a guerra fiscal e isso acaba nos deixando em condição de desigualdade, acarretando desemprego e queda na arrecadação”, destacou o deputado Izalci. “Se nada for feito, as empresas vão continuar indo embora, o que será muito ruim para Brasília”, completou.

Guerra fiscal 3
Izalci lembrou ainda que todos precisam ficar atentos a algumas decisões que poderão ocorrer nos próximos meses e que terão consequências no cenário da guerra fiscal entre os Estados. Entre as possíveis decisões, está a execução da Súmula Vinculante 69 que cancela todos os incentivos fiscais estaduais concedidos sem a autorização do Conselho de Política Fazendária, o Confaz, e a votação do Projeto de Lei que convalida os incentivos fiscais concedidos até 1º de maio de 2014 sem a autorização do Confaz. 
Reflexão do dia 
A "lava jato" veio para lavar a alma dos brasileiros. Tanta corrupção surgindo que deveria ter outro nome; Hidra de Lerna. 
Todi Moreno - jornalista. Fonte: Jornal Alô Brasília.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.