.

.

"Papo de cadeia": condenados fazem falso testemunho contra Celina Leão


Gim Argello é acusado de ter financiado a campanha de Liliane Roriz com R$ 1 milhão, dinheiro de propina da UTC investigado pela operação Lava Jato. Foto: internet/reprodução.

O que você acharia se ouvisse uma conversa entre dois políticos “ficha-suja”, ambos condenados pela justiça, acusando outro político de corrupção?
Pois bem. Recentemente foi divulgado pela imprensa um áudio no qual o ex-senador Gim Argello (PTB) e Liliane Roriz (PTB) acusam a deputada Celina Leão (PPS) de receber quase meio milhão de reais por mês do DETRAN-DF por meio de um esquema com pessoas indicadas por ela.
Gim Argello foi condenado a 19 anos de prisão pelo Juiz Sérgio Moro na lava-jato.
Foto: internet/reprodução
Só que Celina Leão não tem ninguém indicado neste órgão, nem em nenhum outro, desde junho de 2015, quando Celina solicitou a imediata exoneração ao governador de todas as pessoas por ela indicadas, conforme faz prova o ofício 196/2015-GDCL (imagem abaixo).


Celina, inclusive, em agosto de 2016, reafirmou que não tinha nenhuma indicação no GDF (imagem abaixo).


Se não bastasse esse documento, em outra conversa também gravada por Liliane, Celina Leão, ao ser questionada por Liliane a esse respeito, diz com todas as letras que não tem indicações no DETRAN (clique no link abaixo e ouça o áudio).
Mas por quê será que este áudio (que está na operação Dracon e a imprensa teve acesso), não está sendo divulgado?
Por quê só estão mostrando na mídia o papo suspeito dos dois condenados?
Fonte: Guilherme Pontes.

Um comentário:

Tecnologia do Blogger.