Biografias: Agnelo Queiroz

Foto: Agnelo Queiroz/internet/reprodução.

Agnelo Santos Queiroz Filho nasceu em Itapetinga (BA) em 9 de novembro de 1958. Seu pai era Servidor Público Municipal e sua mãe ajudava na renda familiar com um salão de beleza semi-doméstico. Após concluir o segundo grau, Agnelo se mudou para Salvador onde formou-se em Medicina pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). No curso conheceu Ilza Maria Santos Queiroz, com quem se casou e tem dois filhos. Após a conclusão do curso de medicina mudou-se para Brasília nos anos 1980 para cursar residência.
Nesta época, envolveu-se com as atividades do sindicato até se tornar presidente da Associação Nacional de Médicos Residentes. Fez pós-graduação em Cirurgia Geral e Torácica e, em 1989, foi nomeado chefe de cirurgia do Hospital Regional do Gama.
Elegeu-se deputado distrital em 1990 pelo PC do B, na primeira legislatura da Câmara do Distrito Federal. Quatro anos depois, venceu o pleito para deputado federal, o que se repetiria em 1998 e em 2002, sempre pelo PC do B. Foi coautor, juntamente com o senador paulista Pedro Piva, da Lei nº 10.264 de 16 de julho de 2001, mais conhecida como Lei Agnelo/Piva, que estabelece o repasse de 2% da arrecadação bruta de todas as loterias ao Comitê Olímpico Brasileiro.
Foi nomeado ministro dos Esportes no governo de Luiz Inácio Lula da Silva e ficou à frente da pasta entre janeiro de 2003 e março de 2006, quando se licenciou do cargo para disputar uma vaga no Senado. No pleito, foi derrotado por Joaquim Roriz, mas obteve a expressiva votação de 544.313 votos, 42,93% dos votos válidos.
No ano seguinte, em 24 de outubro de 2007, tornou-se diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e permaneceu no órgão até 2010, ano em que desfilou-se do PC do B e, logo em seguida, 09 de julho de 2008, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores e concorreu ao governo do Distrito Federal.
Em 31 de outubro de 2010 foi eleito pelo PT como governador do Distrito Federal, tendo como vice Tadeu Filippelli do PMDB. O petista recebeu 66,1% dos votos, contra 33,9% de Weslian Roriz (PSC), mulher do ex-governador Joaquim Roriz (PSC).
Agnelo foi eleito apresentando propostas como criar o bilhete único no transporte coletivo, criar 400 equipes de Saúde da Família e uma Unidade de Pronto Atendimento em cada uma das 30 regiões administrativas do DF, reduzir pela metade o número de cargos comissionados, nomear servidores concursados além de construir pelo menos 100 mil unidades habitacionais.
Em 2014 o então governador e candidato à reeleição no Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), saiu das eleições derrotado, após atingir apenas 20,05% dos votos. Com 94,38% dos votos apurados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o segundo turno distrital será entre Rodrigo Rollemberg (PSB) e Jofran Frejat (PR). Eles pontuaram, respectivamente, 45,47% e 27,72% dos votos válidos.
Sem mandato, servidor público do Distrito Federal há 30 anos, Agnelo recebe um salário de médico em fim de carreira como técnico da Fiocruz, e complementa sua renda como revendedor Polishop, tendo uma loja virtual.


Fontes: estadão política, wikipedia, último segundo e extra globo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.