Eleição para o comando da Feira Central de Ceilândia termina na Delegacia

Foto: internet/reprodução.
Grupo que administrava a Associação dos Feirantes da Feira Central de Ceilândia perdeu a última eleição, realizada no dia 19 de novembro.
A chapa vencedora descobriu que a ata da eleição não havia sido assinada e nem registrada pelo atual presidente. França e seu grupo administram a Feira por 24 anos.
A eleição aconteceu dentro das regras estabelecidas em edital. O grupo atual perdeu de forma democrática. A chapa vencedora, encabeçada por Jonatan Lima de Araújo solicitou uma Assembleia para destituir a atual diretoria executiva e o conselho fiscal. A alegação é a má fé comprovada pela atual diretoria em não registrar os documentos como estabelece o estatuto.
O atual presidente acatou o pedido e convocou uma Assembleia para uma Igreja, numa quarta-feira (21/12). Todas as Assembleias dos feirantes aconteciam numa segunda-feira, data em que os feirantes não trabalham, e são realizadas no interior da feira.
Após as manobras de França os feirantes se reuniram e se manifestaram contrários a data e ao local agendado.
Na tarde de hoje (6), Jonatan Lima e os demais feirantes foram proibidos de entrar no escritório da diretoria. Na porta, dois filhos do atual presidente intimidaram os feirantes e não permitiram que eles conversassem com o presidente.
Os feirantes chamaram a Polícia Militar, que ao chegar se depararam com um dos filhos do atual presidente armado. O indivíduo portava uma faca, considerada arma branca.

Todos os envolvidos foram encaminhados para a 23ª DP, que apura o caso.
Fonte: Guilherme Pontes.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.