.

.

Maqueavelismo palaciano: Buriti tenta influenciar julgamento da Drácon

Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios. Foto: internet/divulgação.

O Conselho Especial do Tribunal de Justiça do Distrito Federal que tem competência para processar e julgar os deputados distritais nos crimes comuns, nos termos do art. 8º, I, da Lei 11.697/2008 c/c art. 13, I, “b”, do Regimento Interno do TJDFT, é composto de 21 membros e se reúne às terças-feiras.
O desembargador relator do inquérito da chamada “Operação Drácon”, José Divino, deverá incluí-lo na pauta de julgamento deste mês, e submeter à apreciação do órgão colegiado o recebimento ou não da denúncia oferecida pelo Ministério Público do Distrito Federal, bem como o pedido de afastamento cautelar dos parlamentares acusados.
As datas prováveis do julgamento são 14, 21 ou 28 de março. Pensando nisto, o governo por meio de seu braço armado na mídia, deu início a uma série de ataques, na vã expectativa de influenciar a formação do juízo dos desembargadores que participarão da aludida sessão.
Não dará certo. Não é a mídia do governo que irá julgar. Os desembargadores não se deixarão influenciar e, muito menos, intimidar, pela enxurrada de matérias pagas e encomendadas pelo Buriti. Rollemberg pode ter o MP na mão, mas não a Justiça.
Por Guilherme Pontes.
Advogado e professor de direito.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.