Dr. Guilherme Pontes

Direito, política, segurança pública

12/03/2017

Rollemberg e seu compadre da ADASA de supersalário multarão população do DF

Foto: internet/reprodução.
Paulo Sérgio Bretas de Almeida Salles é um dos “colados” do governador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) que sempre se deu bem à custa do poder público. O que a grande mídia não divulga é que Paulo Salles é muito mais do que amigo íntimo de Rollemberg. Ele é da sua família (compadre do governador).
Foto: internet/reprodução.
Graças a esta proximidade com Rollemberg, Paulo Salles sempre foi beneficiado com indicações para ocupar cargos importantes na administração pública. Só para citar um exemplo, na trágica gestão de Agnelo Queiroz (PT) e Tadeu Filippelli (PMDB), Paulo Salles foi presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa (FAP-DF) até 2012, por indicação, óbvio, de seu eterno padrinho político e compadre Rollemberg.
Foto: internet/reprodução.
Assim que Rollemberg assumiu o GDF o compadre Paulo Salles foi agraciado com a presidência da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia do DF. Mas o interesse dele era outro: a ADASA. O problema é que o presidente nomeado por Agnelo Queiroz, Vinicius Benevides, ainda não tinha concluído seu mandato de 5 anos. Mas este empecilho foi resolvido ainda no 1º ano da gestão Rollemberg.
Foto: internet/reprodução.
O nome de Paulo Salles foi aprovado pela Câmara Legislativa na 3ª feira (29/09/15) e o GDF publicou no DODF da 4ª feira (30/09/15), a nomeação de Paulo Salles para o cargo de diretor-presidente da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico (Adasa).
Foto: internet/reprodução.
Salles assumiu o comando da Adasa com os diretores Israel Pinheiro Torres, Diógenes Mortari e José Walter Vazquez, ex-secretário de Transportes do governo de Agnelo Queiroz. Mas não é só na ADASA que tem petista. Eles estão espalhados por toda a administração do DF, com as benção de Rollemberg. Este governo é o mesmo governo petista de Agnelo Queiroz sob o comando da família Rollemberg e seus amigos íntimos. Além, é claro, de uns "gatos pingados" indicados pela executiva nacional do PSB, cuja maioria foi importada de Pernambuco, já que não conseguiram ser nomeados por Paulo Câmara (PSB-PE).
Ex-presidente da ADASA José Walter. Foto: internet/reprodução.
Só para ilustrar como funciona o esquema familiar de indicações políticas de Rollemberg, Paulo Salles também foi diretor-secretário da Fundação para Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec), vice-presidente e presidente do Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio Paranaíba e presidente do Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio Paranoá (DF). Sempre, insisto, graças ao dedo, porque não a mão inteira mesmo, do compadre amigo Rollemberg.
Paulo Salles da ADASA (compadre de Rollemberg), que assim como Maurício Luduvice da CAESB (primo de Rollember), também recebe um supersalário, irá multar a população de Brasília para aumentar a arrecadação de Rollemberg e forçar a diminuição do uso de água. Em vez de penalizar o cidadão pela incompetência deste governo, poderiam, por exemplo, diminuir os seus supersalários e investir em captação de água, o que não foi feito durante os dois primeiros anos deste governo familiar. Ou então poderiam pedir exoneração e permitir que pessoas capacitadas assumissem os seus lugares. Mas não. Não querem largar o "osso". Deixaram faltar água em Brasília, aumentaram o preço da tarifa de água e de esgoto e, agora, vão multar a população.
Mas se de um lado a população é massacrada, do outro Rollemberg cuida bem dos seus. Não é a toa que estamos sendo governados por seus familiares e amigos, tendo como resultado o total descontrole da máquina pública distrital, a instauração do caos em todas as áreas do GDF e o massacre da população.
Por Guilherme Pontes.
Advogado e Professor de direito.

IMPRIMIR - PDF - EMAIL

Página Inicial