Dr. Guilherme Pontes

Direito, política, segurança pública

08/04/2017

Delegado da 27ª DP teria aliviado "peba" e ameaçado prender PM's

Foto: internet/divulgação.

Policiais militares do PATAMO teriam partido no encalço de um “peba” ontem (07/04), que portaria uma arma de fogo sob sua roupa no Recanto das Emas e, em determinado momento, teria sacado a referida arma e efetuado disparo em via pública.
Após o disparo, o indivíduo teria empreendido fuga a pé e adentrado a uma residência próxima ao local. Os P2 em perseguição, diante da evidente situação de flagrante delito, teriam entrado na mencionada residência e efetuado a prisão em flagrante do elemento.
Na sequência agentes de polícia teriam chegado ao local, acompanhados de um delegado da 27ª DP que, diante do preso e de populares, não só teria desautorizado a ação da PM, bem como teria ameaçado prender em flagrante os P2 pelo suposto cometimento do crime de usurpação de função pública.
Posteriormente teria sido descoberto que o flagranteado seria informante do aludido delegado que a todo custo teria tentado impedir sua prisão e condução à delegacia.
Uma equipe do águia e duas viaturas da PATAMO teriam se deslocado então à 27ª DP para a lavratura do Auto de Prisão em Flagrante do preso. O Supervisor de dia, CPU 47, e o Oficial de dia do PATAMO teriam sido acionados e se deslocado até o local.
Contudo, diante da alegada resistência do delegado em autuar em flagrante o marginal, bem como do seu intento em querer autuar os PM’s por usurpação de função pública, todos teriam se deslocado ao DCC para formalizar a alegada ilegalidade cometida pelo delegado a fim de iniciar as tratativas com o Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial do Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios (NCAP/MPDFT).
Por Guilherme Pontes.
Advogado e professor de direito.

IMPRIMIR - PDF - EMAIL

Página Inicial