Dr. Guilherme Pontes

Direito, política, segurança pública

05/04/2017

Padre fantasma de Chico assusta vigilantes da Câmara Legislativa do DF

Montagem do QuidNovi, de Mino Pedrosa.

Por Mino Pedrosa, do QuidNovi
A autoridade parlamentar deputado distrital Chico Vigilante (PT) continua inovando. Até contratou o padre José Ribamar Rodrigues Dias para exorcizar o gabinete, espantando os maus espíritos.
Ribamar está à frente da Arquidiocese Siria Ortodoxa do Distrito Federal. A autoridade parlamentar requisitou Ribamar da secretaria de Planejamento, dando-lhe esta missão. O que acontece é que na caça aos maus espíritos, Ribamar age como fantasma, ficando bem distante aos olhos dos servidores e das câmeras que registram a chegada e saída dos funcionários.
O padre exorcista, que passa a maior parte do dia como fantasma do gabinete nove do terceiro andar, anda assustando a segurança da Casa, que não consegue enxergá-lo pelas câmeras espalhadas por toda a Câmara Legislativa.
Por outro lado, a reportagem acompanhou o padre durante 20 dias e não conseguiu registrar o trabalho dele no gabinete da autoridade parlamentar Chico Vigilante. A reportagem encaminhou um pedido oficial ao presidente da Casa, Joe Valle (PDT) para ter acesso a todas as emendas parlamentares para constatar se alguma emenda foi destinada para a Arquidiocese Sirian Ortodoxa do DF.
No gabinete nove outra ação pitoresca aconteceu. A autoridade parlamentar deputado Chico Vigilante nomeou como chefe de gabinete Eduardo Octávio Teixeira Álvares, substituindo Frederico de Pina Álvares Filho, que é funcionário do Senado Federal e estava requisitado para Câmara Legislativa.

O que acontece é que o salário de Pina ultrapassava o teto constitucional. Por isso, a autoridade parlamentar resolveu nomear Eduardo que é irmão de Frederico de Pina. Até aí tudo bem. Mas Frederico Pina não dá expediente no Senado Federal. Mas sim, suporte ao irmão nomeado como chefe no gabinete.

Segundo a assessoria de imprensa, o Frederico de Pina faz parte do núcleo político do Partido dos Trabalhadores e por isso, continua acompanhando o deputado Chico Vigilante. Também disse que o deputado Chico Vigilante tem assessores que trabalham no escritório político na Ceilândia. Mas não é bem assim, a reportagem acompanhou o padre Ribamar e constatou que no horário do expediente funcional na Câmara o padre esta todo tempo na igreja ou a serviço de fieis.
Toda essa estória rocambolesca pode ser porque a autoridade parlamentar deve manter o escritório político em algum cômodo da igreja.
Fonte: QuidNovi, por Mino Pedrosa.




IMPRIMIR - PDF - EMAIL

Página Inicial