Dr. Guilherme Pontes

Direito, política, segurança pública

05/05/2017

Fadi e Sandra: irmãos faraj sucumbem politicamente e moralmente


Ele tem nome de muçulmano, mas se diz evangélico. Traja uma bata e se autointitula apóstolo de Cristo, mas suas atitudes não parecem ser muito cristãs.

Fadi Faraj, Rodrigo Rollemberg e Sandra Faraj. Foto: internet/reprodução.

Ele diz dedicar sua vida integralmente ao Evangelho do Senhor Jesus, mas parece estar interessado mesmo é no velho e sujo jogo político de Brasília. Seu nome é Fadi Faraj, o “pastor pop star” do Ministério da Fé, envolvido em um dos maiores escândalos de corrupção da história política da Capital Federal.


Ele é a cabeça por trás de tudo o que está acontecendo com a deputada distrital Sandra Faraj (SD), sua irmã. Fadi é o dono do seu mandato. Sandra é dentro e fora do gabinete, teleguiada por seu irmão.

Fadi Faraj, Michel Temer e Sandra Faraj: devaneios de poder material. Foto: internet/reprodução.

Por meio de Sandra, Fadi iniciou o seu ambicioso plano de poder. Insaciável, ele não se satisfez com a fama, o dinheiro e o poder conquistados pela exploração da fé alheia em sua igreja. Ele quer mais.
 

Elegeu sua irmã deputada distrital e se elegeu 2º suplente de Senador. Nos bastidores, tem participado das principais negociações políticas de Brasília, tendo sido decisivo em muitas ocasiões. Ele tentou inclusive, mas sem sucesso, assumir o controle de um partido tomando a legenda (SD) do deputado federal Augusto Carvalho. Mas ambos os irmãos, cegos pelo poder, em sua ascensão política meteórica se esqueceram de seu maior inimigo e, por ele foram vencidos: o ego.


A certeza da impunidade e a sede pelo poder terreno se apoderou dos pastores pecadores. A conta desta fatura será amarga. Sandra Faraj deverá ser cassada por seus pares não só por não possuir a sua simpatia, mas por que ninguém vai querer em tempos de Lava Jato, durante uma sessão aberta no plenário, ser massacrado pelo eleitorado por aliviar uma deputada acusada de corrupção.



Já Fadi Faraj ao ter a sua imagem de “aposto de Cristo” maculada com essa enxurrada de denúncias de corrupção, perdeu seu “status” de pureza e, consequentemente, as bençãos do senador Reguffe, que quer distância de seu segundo suplente. Desesperado, Fadi está fazendo de tudo para tentar impedir a implosão de sua base política e ganha pão: o ministério da "fé".


Muito antes da chamada “grande mídia” alertar a população de Brasília acerca dos irmãos Faraj, eu fui o primeiro a denunciar suas práticas nefastas, tais como o nepotismo e o assédio moral na administração do Lago Norte. Os irmãos tentaram me intimidar com ações na justiça, como se advogado tivesse medo de processo. Agora cabe aos deputados cumprirem com o seu papel e cassarem Sandra.

Por Dr. Guilherme Pontes, com informações da Globo.
Advogado e Professor de Direito.





IMPRIMIR - PDF - EMAIL

Página Inicial