Dr. Guilherme Pontes

Direito, política, segurança pública

03/05/2017

Sandra Faraj deverá ser a 4ª deputada cassada da história da Câmara Legislativa


Recordar é viver. Em toda a história da Câmara Legislativa do Distrito Federal somente três deputados conseguiram a proeza de ser cassados por seus pares.


O primeiro deles foi o deputado distrital Carlos Xavier (PMDB) que teve seu mandato cassado em 05/08/2004, 5ª feira, acusado de ordenar o assassinato de um adolescente identificado como o suposto amante de sua ex-esposa, além de desviar recursos públicos. A sessão contou com 13 votos a favor e 3 contra.


A segunda foi a deputada distrital Eurides Brito (PMDB), cassada em 22/06/2010, 3ª feira, por ter sido flagrada colocando dinheiro na bolsa durante a Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal.


Foram 16 votos a favor, 3 contra e 3 abstenções. Apenas um dos 24 parlamentares da Câmara Distrital não compareceu à sessão – o deputado Benício Tavares (PMDB) está afastado por motivos de saúde.


O 3º foi o deputado distrital Raad Massouh (PPL) cassado em 30/10/13, 4ª feira, por 18 votos favoráveis, 3 contrários e 2 abstenções.


Raad foi acusado de desviar recursos públicos de uma emenda liberada por ele em 2010.


A bola da vez é a deputada Sandra Faraj (SD), acusada de embolsar R$ 150 mil em verba indenizatória. Pela sua singular simpatia, tudo leva a crer que Sandra deverá ocupar o honroso 4º lugar na história dos deputados cassados em breve.


Por Dr. Guilherme Pontes.
Advogado e Professor de Direito.




IMPRIMIR - PDF - EMAIL

Página Inicial