Política e Segurança Pública na Capital Federal.

16/09/2017

No Butantã do MP: entre cobras e serpentes, Janot provará do veneno destilado


Nada como um dia atrás do outro na política. Depois da tentativa frustrada de derrubar o Presidente Michel Temer (PMDB), o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, está prestes a provar do próprio veneno, destilado por suas denúncias bifurcadas.
Sua sucessora, Raquel Dodge, se encarregará deste encargo. A denúncia é certa e Janot já sabe, motivo pelo qual apesar de ter tempo suficiente para a aposentadoria integral, permanecerá na PGR apenas para assegurar a prerrogativa de foro em razão do cargo no Superior Tribunal de Justiça (art. 105, I, “a”, in fine, CF/88).
No STJ, Janot terá que explicar, entre muitas atitudes, digamos eufemicamente, duvidosas, o que estava fazendo sentado em uma mesa no canto de um bar de Brasília, sábado à noite, “disfarçado” com óculos escuros, conversando com o advogado dos irmãos Batista, seus investigados.
Parece que o feitiço irá virar contra o feiticeiro antes do que se imaginava. Esqueceu-se o PGR de um mandamento basilar: quem com gravação fere, com gravação será ferido!
#ficaadica

Por Dr. Guilherme Pontes
Advogado e Professor de Direito

P.S.: Janot já foi. E o Grupo Globo, Presidente? Vai ficar impune pela tentativa de coup d’état?



IMPRIMIR - PDF - EMAIL

Página Inicial